A internet derreteu com o anúncio, na última sexta-feira, de que a Chaos Group adquiriu a Render Legion, fabricante do Corona. E todos se perguntam: e agora?

Nota: Este é um artigo de opinião e não necessariamente representa o posicionamento oficial dos envolvidos.

As últimas semanas foram bem cheias no trabalho. Muitos projetos, muita hora extra e stress na mesma medida para acompanhar. Por isso, estava meio offline esses dias. Entretanto, pouco depois do almoço, fui “acordado” do meu sono virtual por uma mensagem do Patrick Haraguti: “Tá feliz? kkkkkk”, acompanhada deste link.

Vá lá. Leia o link. Eu espero.

Pois bem. Se você não quis seguir o link, eu explico o que aconteceu. A Chaos Group comprou a Render Legion, fabricante do Corona. Eu já tinha ouvido os rumores, mas nem me lembrava mais. Aparentemente, entretanto, os rumores eram bem verdadeiros e tinham até um banner bacaninha pra acompanhar…

new-horizons-blog-banner-604x252

É claro que a internet não perdoou. Foi o apocalipse zumbi, basicamente. Muitos compararam a Chaos Group à Autodesk, a maioria esmagadora se disse triste porque tinha certeza de que o Corona agora iria acabar, ser engolido pelo V-Ray… Teorias não faltam, todas sempre vindas de especialistas que têm informações quentíssimas dos bastidores da história toda.

Mas vamos aos fatos.

Ter uma empresa não é nada fácil. Uma de software, então, é um desafio e tanto. Pirataria, concorrência, grana para investir em pesquisas… Não, não é a mesma coisa que ter uma padaria na esquina. Estamos falando de um mercado mundial, com questões muito mais complexas e problemas igualmente grandes.

Para você ter uma ideia, há 2 anos atrás Adam e Ondraj (criadores do Corona) fizeram uma apresentação na EUE (End User Event), evento anual de CG que ocorre em Utrecht, na Holanda (mais informações aqui) em que comentaram sobre os desafios que tinham no desenvolvimento do Corona. Listaram coisas como os já citados pirataria e concorrência, mas também falaram sobre a dificuldade de encontrar bons programadores para trabalhar com eles, além de como é caro você expandir sua estrutura para poder dar aos usuários aquilo que eles esperam do seu renderizador.  Mesmo tendo bons contatos, não era suficiente para resolver o que talvez fosse o maior problema para qualquer empresa: dinheiro.

Já nessa época, eles diziam que muito do que “segurava” o desenvolvimento da Render Legion poderia ser resolvido com um bom aporte de capital por parte de algum investidor. E começaram a procurar alguém que pudesse ajudá-los. Isso é comum no mundo empresarial, e você ficaria surpreso ao saber que muitas das empresas que você conhece são de propriedade, na verdade, de grupos de investimentos. Mas essa é uma situação complicada, veja bem: se por um lado, você finalmente tem grana para investir naquilo que precisa para sua empresa crescer, por outro passa a estar nas mãos de um pessoal que não necessariamente aprecia o produto que você faz, o que é perigoso. Afinal, é muito fácil algum engravatado que não entende nada de 3D resolver fechar a empresa (e matar o renderizador que você tanto gosta) porque ele não deu o lucro esperado.

Não sei você, mas eu ficaria bem assustado com essa possibilidade.

ondra-and-vlado
Vlado, criador do V-Ray (esq.) e Ondraj Karlik, criador do Corona

E é aí que entra a Chaos Group. Você pode não acreditar, mas ela não é um antro de maldade, controlada por empresários inescrupulosos, capitalistas selvagens que querem a todo custo a dominação mundial: ao contrário, é uma empresa feita de gente muito bacana. São pessoas criativas, apaixonadas pelo que fazem e que têm uma cultura de sempre buscar o melhor para seus clientes. O desenvolvimento do V-Ray nesses anos todos é prova disso. O próprio Vlado atende à galera no fórum, visita as empresas que usam o V-Ray, ouve seus pedidos e os atende na medida do possível. Vários amigos na ILM, Digital Domain, etc, contam sobre como o desenvolvimento do V-Ray é muitas vezes resultado de pedidos que foram feitos por ocasião de desafios encontrados em produção. O próprio Vlado continua trabalhando no código do V-Ray, mas não sozinho e sim com ajuda de gente realmente talentosa do mundo inteiro.

E foi essa cultura que atraiu Ondra & cia para iniciar, há 13 meses atrás, uma conversa que culminou na compra que foi anunciada essa semana.

Chaos Group started from the bottom, just as we did; boot-strapped from the beginning, just the same as us. For us, having a partner who is not led by financial investors but by the developers is a major plus and one of the strong motivators for this move. – Adam Hotový

Deixemos uma coisa clara: não estou dizendo que a Render Legion iria fechar se não fosse comprada pela Chaos. Claro que não. Mas Ondraj, Adam e Jaroslav sabem que para poderem crescer realmente, precisam de apoio. E, lembre-se, eles provavelmente gostam e se preocupam com o Corona mil vezes mais do que você, eu ou qualquer outra pessoa.

É natural as pessoas ficarem preocupadas quando uma coisa dessas acontece. “O Corona vai ficar complicado igual ao V-Ray!” ou “Vão matar o Corona!” ou ainda “Vão mesclar os dois e fazer outro!”. Acredite, não dá pra levar a sério nada disso. Se você perguntar para os desenvolvedores do Corona o que eles acham (e muitos já perguntaram), eles vão dizer que estão super animados com as possibilidades. Vão contar que implementaram o DMC do V-Ray no Corona 1.7 e que isso aumentou muito sua velocidade. Dirão, ainda, que o próximo release do V-Ray implementa no RT GPU uma nova técnica de light sampling vinda do Corona que melhorou bastante o nível de noise do render.

De cara, é importante que os usuários do Corona entendam o quê essa aquisição significa:

  • A Render Legion vai duplicar sua equipe de desenvolvimento nos próximos 12 meses, o que significa um ritmo mais rápido no desenvolvimento do Corona (não me lembro da Autodesk duplicando a equipe que desenvolve o Arnold, por exemplo)
  • Não existe, nem de longe, a figura do monopólio que muitos alardearam por aí. A Chaos Group é uma empresa relativamente pequena, assim como a Render Legion. Além da questão financeira, essa manobra permite que, moral e legalmente, a troca de informações e tecnologia entre as duas agora é livre.
  • O mercado de renderizadores é grande e povoado (além de V-Ray e Corona, temos Mental Ray, Redshift, f-storm, Octane, Renderman, Arnold, só pra ficar nos mais famosos). Você continuará tendo escolhas à vontade.
  • Muita coisa que o Corona não podia simplesmente implementar porque seria uma “cópia” do V-Ray (e vice-versa) agora é livre. Pode se animar.
  • Uma das primeiras ações oficiais deve ser a implementação de total compatibilidade entre os dois renderizadores. Você poderá usar assets do Corona no V-Ray e vice-versa, aumentando demais as possibilidades de quem trabalha com archviz, por exemplo. (Pegue todos os seus blocos em VRayProxy e renderize direto no Corona, ou abra cenas de um renderizador e renderize no outro sem ter que fazer absolutamente nada: como lhe parece?)
  • O Corona irá continuar com seu roadmap normalmente, assim como o V-Ray. A única diferença é que novas coisas poderão ser implementadas no meio do caminho.
  • A política de licenciamento e preços continua igual.
  • Da mesma forma, seus renders com o Corona continuam como sempre foram e o fórum da Render Legion vai continuar cheio de figuras do “My Little Poney” (ou seja, eles continuam sendo quem sempre foram).
  • A Chaos Group conta com suporte em português e uma rede de apoio por aqui. O Corona também vai contar com isso num futuro próximo, algo que estava completamente fora dos planos da RL até hoje. Ruim, não é?

Eu sei que nada do que eu disser vai apagar essa “sensação ruim” de “fim do mundo” que você está sentindo nesse momento. Afinal, todos vimos o que a Autodesk fez com o Softimage, não é? Por isso, deixo aqui, inalteradas, algumas declarações dadas pelos envolvidos:

Render Legion is a brilliant team, and we share the same passion and vision. By working together, we can make both V-Ray and Corona better — in ways we couldn’t do alone. – Vlado

 

Ondrej, Jaroslav and I feel like parents, and Corona is our baby. We want only the best for our baby, and we want to see it grow and be successful. We want to be proud of what we have helped to create. At some point in your life as a parent, you realise that you cannot give your baby all that it needs by yourself, and you want others to help you with the growth and development of your child. And that’s what we did here. We want the best, and Chaos Group is the best for our baby. – Adam Hotový

Por fim, respire e se acalme. A despeito de todas as previsões (pessimistas), de todos os especialistas que se manifestam constantemente e sobre todos os assuntos nas redes sociais, tudo está bem e vai ficar ainda melhor. Se você realmente gosta do Corona e respeita seus desenvolvedores, dê-lhes um voto de confiança de que eles jamais fariam algo que poderia matar seu bebê, como eles mesmos chamam o Corona.

Rendering is Magic, so Happy V-Raying!

– Ricardo Eloy

Links:

Veja o anúncio oficial, na D2 em Vienna:

 

Leia o comunicado oficial no site da Render Legion.

Leia o comunicado oficial no site da Chaos Group.

 

Anúncios

Escrito por Rick Eloy

Arquiteto, marketeiro, profissional 3D e professor.

2 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s