Como tem se tornado meio que uma tradição, Emanuele Lecchi (Lele) postou em seu perfil no Linkedin um resumo das novidades do V-Ray 3.4. Como ele mesmo diz, o texto é grande mas é menor do que o change log que publicamos ontem. Para ver o original, clique aqui.

aaeaaqaaaaaaaahjaaaajdzjmwe4ntiyltgwyjitndk3ns1hmjhmltu2mwmyogq1ngflza

“Enquanto passear pelo arquivo de changeLog é um prazer que eu jamais sonharia em tirar de ninguém, pensei em compartilhar um pouco mais sobre o trabalho maturado nos últimos 6 meses e que culminou no último release.

Como já falamos sobre o novo denoiser em um post anterior, vamos pular essa parte e ir direto para as novidades:

  • Light Cache, amigo de longa data dos usuários do V-Ray está melhor, e agora é capaz de otimizar bastante a quantidade de cálculos a serem feitos enquanto preserva sua precisão (mensuravelmente). Os maiores ganhos em velocidade são esperados em cenas com materiais complexos onde podemos aproximar sua aparência aos raios de GI usando o Light Cache apenas sem ter que calcular o material realmente. Clado, isto é feito de forma a nos certificarmos que os resultados permaneçam os mesmos. Dependendo da cena, uma melhora mínima de 3% no tempo de render é esperada, mas em alguns cenários mais específicos o ganho foi de 25%.
  • Microfacet GTR BRDF também foi refinado, e agora sua performance está mais alinhada com os modelos mais simples, enquanto retém as features bacanas que fizeram este modelo tão popular entre os usuários. Mesmo com valores muito baixos de tail falloff e assimetria extrema, sua taxa de convergência (sem medo de fireflies) ficou mais rápida até mesmo que os outros modelos (em alguns casos em cantos, por exemplo). Você agora pode usá-lo como seu principal BRDF sem medo.
  • Outra feature literalmente escondida do SP4 traz redução automática de tesselation para displacement e hair e fur fora do campo de visão da câmera, permitindo que o displacement dentro do seu campo de visão seja mais detalhado usando a mesma quantidade de memória.
  • Melhorias na interface (UI) continuam, com a definição da memória para texturas tiled sendo movida para o painel de render, perto do Dynamic Memory Limit, simplificando a alocação de memória e controle do comportamento do cache.
  • A interface dos samplers também foi otimizada, oferecendo agora apenas “Bucket” e “Progressive”, mas mantendo a flexibilidade de sempre.
  • V-Ray Light também ganhou uma reforma, com os controles mais usados agora reunidos numa única rollout, imediatamente presente e disponível, e o resto da UI se adaptando às escolhas do usuário com rollouts contextuais.
  • V-Ray Volume Grid ganhou um novo e melhorado controle de curvas, que você poderá destacar da interface usual e maximizar. O manuseio dos pontos de controle também foram melhorados, e a UI agora comunica claramente muito mais dados para o usuário de maneira clara e correlacionada.

E estas são as principais features do novo Service Pack 4, que será lançado oficialmente na semana que vem mas já está disponível para download no site da Chaos Group para quem não aguenta esperar! 😉

L.

*a imagem lá no topo foi renderizada em 1:40min com 900×675 pixels e limpa pelo denoiser em 5 segundos na CPU.”

Anúncios

Escrito por Rick Eloy

Arquiteto, marketeiro, profissional 3D e professor.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s